Este estudo é o primeiro em avaliar a proteção UV de óculos de sol para crianças

cordinha para oculos
Cada par testado de fato bloqueou 100% da radiação UV em um comprimento
de onda de ~400nm. Com relação à rotulagem do produto, todos, exceto dois
(124/126) pares, tinham declarações precisas sobre proteção UV. Embora a
quantidade de informações fornecidas na embalagem tenha variado, nenhum
caso de i foram encontradas informações imprecisas.
Esses achados estão em nítido contraste com os relatados por Dain e Werner,
os quais descobriram que muitos óculos de sol infantis não cumpriam os padrões
de filtragem de UV.
A explicação mais provável para nossos resultados é a mudança de lentes de
plástico sem policarbonato para policarbonato com agentes bloqueadores de UV
adicionados. Embora os padrões da indústria em relação à proteção UV sejam
opcionais, essas formulações de policarbonato tratado agora são muito baratas
e fornecem 100% de proteção contra a radiação UV-A/B em todo o espectro.
filtrando a radiação UV e que os pais podem confiar na rotulagem relativa à
proteção UV.
É importante notar que nossa metodologia testou apenas a transmitância em ~
400 nm, nem todos os comprimentos de onda UV. Reconhecer essa limitação é
importante, pois diferentes comprimentos de onda UV penetram em diferentes
partes do olho. Enquanto a córnea absorve comprimentos de onda < 295 nm,
comprimentos de onda entre 295-400 nm podem causar danos ao cristalino.
Estudos avaliando o uso de óculos de sol ao ar livre por crianças e adolescentes
sugerem que há muito espaço para melhorias. Uma pesquisa telefônica nacional
de base populacional realizada por Cokkinides descobriram que apenas 32%
dos jovens de 11 a 17 anos nos EUA relataram usar óculos escuros em dias
ensolarados.